O filme “As Cinquenta Sombras de Grey” trouxe um público sedento de sensualidade de volta ao cinema. E o género ganho novos adeptos.

A adaptação cinematográfica do romance erótico e E. L. James gerou receitas mundiais de 218 milhões de euros – 837 mil em Portugal – no primeiro fim-de-semana em exibição e é foi recorde de bilheteira de 2015. No Reino Unido é o filme para maiores de 18 anos com a estreia mais lucrativa de sempre. Nos Estados Unidos a terceira. Em Portugal, teve 160 mil espectadores no fim-de-semana de estreia e ultrapassou o filme “Avatar”.

No ranking do Instituto do Cinema e do Audiovisual, “As Cinquenta Sombras de Grey” ocupa a 16ª posição na tabela das melhores estreias de sempre em Portugal por número de espectadores.

Os fãs da trilogia erótica asseguravam o sucesso do filme, no entanto isso não serve, por si só, para justificar os resultados dos primeiros dias. Os primeiros resultados deixam claro à produtora que vale a pena avançar para a adaptação dos restantes dois volumes da trilogia. “As Cinquenta Sombras de Grey Mais Negras” tem estreia marcada para o próximo ano, mas até lá pode rever 15 filmes eróticos que marcaram o cinema mundial.

Último Tango em Paris (1972)

giphy (5)

Último Tango em Paris estreou nos Estados Unidos rodeado de enorme controvérsia. O frenesi da imprensa em torno gerou enorme interesse do público assim como grande condenação moral. O principal centro do escândalo provocado, são as cenas de penetração anal, onde ‘Paul’ sodomiza ‘Jeannie’ usando manteiga como lubrificante. E quando lhe pede que enfie os dedos no seu anus ou que prometa fazer sexo com um porco, provando-lhe a sua devoção.

O Último Tango em Paris seria exibido na TV em 1992 (um ano depois de O Império dos Sentidos), sem agitação, e fazia parte de “um pacote de filmes proibidos no tempo da censura” que após 1974 foi chegando aos cinemas portugueses.

Emmanuelle (1974)

giphy (11)

Apesar da personagem já ter aparecido antes, a história fez-se a recriação em 1974 no filme Emmanuelle, interpretada pela holandesa Sylvia Kristel. É ela a atriz mais famosa pelo papel. O filme ultrapassou as barreiras do que era aceitável em filmes na época, com suas cenas de sexo, estupro, masturbação, mile high club (sexo em aviões) e uma cena onde uma dançarina fuma um cigarro com a vagina usando técnicas de pompoarismo. Ao contrário de outros filmes que tentavam evitar uma classificação adulta do MPAA, o primeiro filme de Emmanuelle abraçou o género e tornou-se um grande sucesso internacional. O filme é, até hoje, um dos mais bem-sucedidos filmes franceses e chegou a ser exibido nos cinemas locais durante anos

O Império dos Sentidos (1976)

giphy (2)

O filme franco-japonês de 1976, realizado por Nagisa Oshima vale-se da história de paixão entre os protagonistas para ser mais do que um filme porno. Trata-se de uma película com cenas reais de sexo de forma muito franca, mas sua história de paixão tem qualidade e muita profundidade, sendo inegavelmente um filme com muitos atributos enquanto arte e performance. O enredo, vivido em 1936, é sobre uma ex-prostituta que se envolve num caso de amor obsessivo com o chefe de uma propriedade onde é contratada como empregada. O que começa como uma diversão inconsequente transforma-se numa paixão que ultrapassa todos os limites. Inspirado num caso real, mostra a história de um amor total, onde dois amantes vivem uma paixão absoluta, uma busca incessante pelo prazer, onde os seus desejos se confundem quando eles são envolvidos em uma delicada e sensual atmosfera.

Entre as cenas que o tornam um filme praticamente porno, destacam-se o orgasmo do protagonista, ejaculando na boca de Sada Abe; o momento em que um ovo cozido é colocado dentro da vagina da protagonista, sendo logo depois “posto” e colocado na boca de seu amante; e até um desfloramento ocorrido num bacanal onde várias prostitutas dominam uma jovem e lhe introduzem um dildo com forma de passarinho.

Ainda hoje é proibida a sua projecção integral no Japão. Foi censurado no Reino Unido e proibido nos EUA. Quando foi transmitido na RTP2, em Fevereiro de 1991, gerou uma vaga de protestos e de discussão pública que chegou à mesa do então primeiro-ministro, Aníbal Cavaco Silva. Numa penada, Oshima tornava-se num nome conhecido no mainstream português e uma memória de cultura popular para quem viveu aquele ano de 1991 – que terminaria, na noite de 31 de Dezembro, com um sketch de Herman José a celebrar a agitação causada pelo filme sobre Sada (interpretada por Eiko Matsuda) e Kichizo (Tatsuya Fuji), que com ela embarca numa relação intensa e num crescendo obsessivo.

9 Semanas e Meia de Amor (1986)

giphy (7)

9 Semanas e Meia de Amor foi um filme censurado em alguns territórios, por conter cenas polémicas de sexo. Baseado no livro de Elizabeth McNill, foi realizado por Adrian Lyne. Envolvente, é considerado um clássico sensual do cinema. Aqui podemos acompanhar o envolvimento de Elizabeth (Kim Basinger) com John (Mickey Rourke), um executivo da Wall Street. Pode achar agora que Rourke não tem um ar muito interessante, más à época deixava muitas mulheres sem folego só com o olhar.
Elizabeth apaixona-se e acaba sedendo às mais picantes fantasias do seu parceiro. Algumas são humilhantes, num jogo de persuasão, sedução e desejo. A intensidade da paixão cresce na mesma proporção que os excessos de John. O filme tem carisma e um charme difícil de encontrar noutros filmes do género. E tem uma banda sonora que se tornou um marco de sensualidade: “You Can Leave Your Hat On” de Joe Cocker, “Slave to Love” de Brian Ferry e “This City Never Sleeps” de Eurythmics, entre tantas outras. Este é um filme único, merece ser visto várias vezes.

Sexo, Mentiras e Vídeo (1989)

giphy (6)

Escrito e realizado por Steven Soderbergh, conta a história de Ann (Andie MacDowell). Ela é uma mulher frígida casada com o advogado John Mullany (Peter Gallagher). Frequenta um psicanalista a fim de resolver suas frustrações. John, o marido, tem um caso com a irmã de Ann, Cynthia (Laura San Giacomo).

A vida do casal começa a mudar com a chegada de Graham Dalton (James Spader), amigo de infância de John, que se muda para a cidade. Entre outras curiosidades, Graham grava videotapes com mulheres a falar sobre sexo…

Orquídea Selvagem (1990)

giphy (19)

Orquídea Selvagem foi realizadopor Zalman King, com  Mickey Rourke (sim, ele outra vez) e Carré Otis nos papéis principais. Emily Reed (Carré Otis), uma bela jovem advogada, vulnerável e inocente, é contratada por uma importante corretora de Nova Iorque, Claudia Dennis (Jacqueline Bisset). Numa viagem de negócios, ao Rio de Janeiro,, conhece o charmoso James Wheeler (Mickey Rourke), um homem enigmático, que a envolve num estranho jogo de sedução.

 Lolita (1962/1997)

giphy (9)giphy (10)

Um professor universitário de meia-idade torna-se obcecado com uma ninfa de quatorze anos. Casa-se com a sua senhoria (mãe da menina), para poder aproximar-se da adolescente. Esta é a trama do romance de Vladimir Nabokov, com o mesmo título.

Foi filmado pela primeira vez por Stanley Kubrick, em 1962. No elenco contou com as estrelas de cinema James Mason como Humbert Humbert , Sue Lyon como Dolores Haze (Lolita) e Shelley Winters como Charlotte Haze , com Peter Sellers como Clare Quilty. Devido às restrições da MPAA, na época, o filme atenuada aspectos mais provocantes do romance, por vezes, deixando muito para a imaginação do público.

Em 1997, volta ao ecrã pela lente de Adrian Lyne e adaptação de Stephen Schiff . Aqui, conta com as prestações de Jeremy Irons como Humbert Humbert e Dominique Swain como Dolores ” Lolita ” Haze, com papéis secundários por Melanie Griffith como Charlotte Haze, e Frank Langella como Clare Quilty .

O filme teve considerável dificuldade em encontrar um distribuidor americano e estreou na Europa antes de ser lançado nos Estados Unidos, onde foi recebido com muita controvérsia. s performance de Irons e Swain impressionou o público, mas, apesar de elogiado por alguns críticos por sua fidelidade a a narrativa de Nabokov, o filme teve uma recepção crítica mista nos Estados Unidos .

Instinto Fatal (1992)

giphy (12)

Instinto Fatal é um filme norte-americano, um suspense erótico realizado por Paul Verhoeven e com argumento de Joe Eszterhas. Sharon Stone e Michael Douglas são os protagonistas.

Johnny Boz, antiga estrela de rock e proprietário de um clube noturno em São Francisco, é encontrado morto na sua cama. O caso é entregue ao detective Nick Curran (Michael Douglas ), que possui um passado de alcoolismo e consumo de drogas, embora já esteja recuperado. A principal suspeita é Catherine Tramell (Sharon Stone), uma atraente e manipuladora romancista que mantinha uma relação há já algum tempo com Boz.

A psiquiatra da polícia, Beth Gardner, ex-namorada de Nick, é convidada a participar nas investigações, depois de se descobrir que o homicídio de Boz foi copiado directamente de um dos romances de Catherine. Nick acaba por se envolver demasiado e todos parecem ser suspeitos.

Este filme provocou grandes mudanças nas mentalidades em Portugal, quando estreou nos cinemas em 1993. E contém o mais sedutor cruzar de pernas do grande ecrã.

Lua de Mel, Lua de Fel (1992)

giphy (16).gif

 “Lua de Mel, Lua de Fel” é um filme realizado por Roman Polanski. Traz no elenco Hugh Grant, Kristin Scott Thomas, Emmanuelle Seigner e Peter Coyote.
Durante um cruzeiro, Nigel (Hugh Grant) conhece um escritor paraplégico chamado Oskar (Peter Coyote). A partir desse primeiro contato, Oskar começa a contar-lhe um livro que está a escrever, uma autobiografia, na qual relata sua vida com uma mulher estonteante (Emmanuelle Seigner) e as consequências desta relação.

Striptease (1996)

giphy (17)

Striptease é um filme de comédia sensual que foi realizado, produzido e escrito por Andrew Bergman. O filme é protagonizado por Demi Moore, Burt Reynolds e Ving Rhames. O filme é baseado no romance Strip Tease de Carl Hiaasen, que fala sobre uma striper, Erin (Demi Moore) que perde o emprego de secretária no FBI por causa do marido, um pequeno golpista. Por este motivo, perde a custódia da filha depois da separação. Começa a trabalhar como stripper e vê-se às voltas com o ex-marido trapalhão, um congressista tarado, com políticos corruptos e um detetive que quer ajudá-la. A cena de Demi Moore a treinar uma dança com a toalha enrolada no cabelo e no corpo é inesquecível.

De Olhos Bem Fechados (1999)

giphy (13)

Um médico de Nova York, casado com uma curadora de arte, empurra-se numa odisseia angustiante e perigosa longa noite da descoberta sexual e moral. Esta acontece depois da sua esposa ter  admitido que uma vez quase o traiu.

Eyes Wide Shut é um filme americano-britânico realizador por Stanley Kubrick. É baseado no conto Traumnovelle, de Arthur Schnitzler, e protagonizado pelo então casal-na-vida-real Nicole Kidman e Tom Cruise.

Este é o último filme de Kubrick, que morreu apenas 5 dias depois de mostrar a sua edição final do filme para o estúdio.

Secretária (2002)

giphy (3)

Secretary é um filme da comédia e drama, realizado no ano de 2002 por Steven Shainberg. Lee Holloway (Maggie Gyllenhaal) é uma jovem de 25 anos que trabalha numa empresa com o advogado de 42 anos, E. Edward Grey (James Spader). O nome é pura coincidência com Christian Grey. Mas o enredo e a sensualidade não. Lentamente Lee e Grey embarcam em uma relação mais pessoal atrás de portas e cruzam linhas de conduta da sexualidade humana, um caso de amor no qual os papéis de dominação e total submissão ambos desempenham perfeitamente. A famosa frase de Maggie Gyllenhaal foi: “Eu sou a tua secretária.”

O Segredo de Brokeback Mountain (2005)

giphy
A história de uma relação secreta e proibida entre dois cowboys, e a sua vida ao longo dos anos.  É um filme americano e canadense de 2005, um drama-romântico que retrata o complexo relacionamento romântico de um casal do mesmo sexo na Região Oeste dos Estados Unidos entre 1963 e 1981.

Um Quarto Em Roma (2010)

giphy (8)

2008, Roma. As jovens Alba (Elena Anaya) e Natasha (Natasha Yarovenko) conhecem-se ao acaso numa noite de verão. A partir de então, passam doze horas juntas num quarto de hotel. A princípio resistentes a qualquer tentativa de aproximação, temendo pôr em risco os relacionamentos reais que cultivam no exterior, as duas acabam cedendo aos seus instintos mais inesperados, numa entrega apaixonada a uma liberdade que nunca experimentaram. No entanto, na tarde do dia seguinte, as duas devem embarcar em aviões com destinos distintos: uma irá para a Espanha, a outra para a Rússia.

Ninfomaníaca (2014) 

giphy (14)

Ninfomaníaca é um filme de duas partes, de origem alemã, francesa, dinamarquesa e belga de 2013. É escrito e realizado por Lars von Trier, protagonizado por Charlotte Gainsbourg e Stellan Skarsgård.
Bastante magoada e abandonada num beco, Joe (Charlotte Gainsbourg) é encontrada por um homem mais velho, Seligman (Stellan Skarsgard), que lhe oferece ajuda. Ele leva-a para sua casa, onde possa descansar e se recuperar. Ao despertar, Joe começa a contar detalhes de sua vida para Seligman. Assumindo ser uma ninfomaníaca e que não é, de forma alguma, uma pessoa boa, ela narra algumas das aventuras sexuais que vivenciou para justificar o porquê de sua autoavaliação.

A segunda parte de Ninfomaníaca estreia em breve. E promete!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *