Será que o amor existe mesmo? Vários filósofos debateram-se com esta questão ao longo dos anos sem chegar a uma resposta concreta, mas um grupo de cientistas da Universidade da Virginia, EUA, diz ter encontrado as perguntas que dão “evidências empíricas” da existência deste sentimento, lê-se no site do Independent.

São elas:

– ‘Quão feliz é no seu casamento, quando comparando com a felicidade que poderia sentir se não fosse casado/a?’

E

– ‘Como é que acha que o/a seu/sua parceiro/a iria responder a esta mesma questão?’

Dois economistas da Universidade de Virginia fizeram estas perguntas a 4242 casais duas vezes, com seis anos de diferença entre os interrogatórios, e analisaram a informação recolhida.

Assim, os investigadores chegaram à conclusão que aqueles que achavam que não seriam menos felizes solteiros tinham uma maior probabilidade de se separarem.

Conhecer bem o outro e ser sincero é essencial

Apenas 40.9% dos entrevistados conseguiram prever de uma forma acertada a resposta do seu companheiro. Esta percentagem está ‘na raiz’ de muitos dos problemas dos casais, já que, de acordo com a mesma investigação, não conhecer bem as emoções do seu parceiro pode levar a uma separação.

São elas: (Continuar a ler em Jornal Sol)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *