A artista suíça Milo Moiré, conhecida pelas performances polémicas que leva a cabo e que incluem, entre outras, pintar um quadro com balões de tinta expelidos pela vagina, tirar selfies despida na Torre Eiffel ou visitar um museu completamente nua com um bebé ao colo, foi detida em Londres, por andar a pedir a desconhecidos que lhe tocassem na vagina e nos seios.

Para a peça ‘Mirror Box’ (Caixa de Espelhos, em português), a artista andou por várias cidades europeias com caixas no peito e nas ancas, espelhadas no exterior e com uma abertura cada uma. Milo apelava a desconhecidos com um megafone para que lhe mexessem nos genitais e nos seios, durante alguns segundos. Dizia a cada pessoa: «Tens 30 segundos, mas tens de me olhar nos olhos.»

Em Amesterdão, por exemplo, a performance não levantou problemas mas, em Londres, acabou por ser detida pelas autoridades por exposição indecente. Esteve presa 24 horas, foi presente a tribunal e obrigada a pagar uma multa de quase 1200 euros pela sua arte pouco convencional.

De acordo com Milo Moiré, a instalação artística foi inspirada pelos ataques sexuais em Colónia, na Alemanha, na passagem de ano. “Estou aqui pelos direitos das mulheres e pela autodeterminação sexual. As mulheres têm uma sexualidade tal como os homens. E podem decidir por elas mesmas quando e como querem ser tocadas. Tal como podem dizer que não”, explicou a artista em comunicado.

A artista queria mostrar o que é um ato sexual verdadeiramente consentido e quis usar uma caixa espelhada para que os espectadores “ganhassem consciência que também são parte participante ao observar um ato sexual” e que “não estão a interagir com um mero objecto sexual”.

Veja o vídeo aqui: https://www.youtube.com/watch?v=xTmfbr6cCTU

maxresdefault

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *