Ser circuncidado, ou ter sofrido a circuncisão, é um procedimento no qual é removido o prepúcio do pénis. O procedimento é normalmente efectuado devido a várias crenças religiosas e tradicionais. É, por isso, muitas vezes executado numa fase inicial da infância ou mesmo alguns dias depois do nascimento da criança. Esta intervenção raramente é executada num homem adulto.

O verbo circuncidar tem origem no latim ‘circumcīdo, is, di, sum, dēre’ «cortar ao redor, cercear, decotar, amputar, aparar, podar, circuncidar».

A principal razão para a circuncisão em diferentes culturas é que os orgãos genitais “au naturel” são considerados anti-estéticos e pouco limpos. Um pensamento que, levado ao extremo, também dita a circuncisão das mulheres em certas culturas africanas. Felizmente, esta prática tem vindo a ser condenada e abolida em quase todo o mundo.

Uma das maiores vantagens da circuncisão é o facto de esta ajudar a manter o pénis mais limpo, evitando a acumulação de secreções por baixo do prepúcio que possam levar a infeções. Contudo, acredita-se que devido à melhoria das condições de higiene da população ao longo dos tempos, a circuncisão não é assim tão necessária na prevenção de infeções.

A segunda razão para a circuncisão é resultado, muitas vezes, de problemas de saúde. Nomeadamente, algumas pessoas têm problemas ao puxar o prepúcio do pénis para trás, o que lhes causa muitas dores. Ao remover o prepúcio a dor desaparece.  Em termos clínicos este tipo de cirurgia justifica-se por exemplo em casos de fimose, sendo que também pode ser realizada por questões pessoais.

Os benefícios

À semelhança de numerosos africanos, muitas mulheres acreditam que um pénis que não é circuncidado é pouco limpo e atractivo e, por isso, preferem ter relações sexuais com um homem que tem o pénis circuncidado. Por pensarem dessa forma, poucas mulheres estão cientes das consequências que a circuncisão pode ter para eles. Nomeadamente, diminui a sensação sexual nos dois parceiros, o que também pode afetar o prazer sexual.

O prepúcio no órgão sexual masculino é um tecido erógeno que, entre outras coisas, aumenta a sensibilidade do pénis durante o sexo e, adicionalmente, serve de protecção contra fatores externos. Há muitas terminações nervosas na cabeça do pénis. A exposição constante da cabeça do pénis de um pénis circuncidado faz com que, gradualmente, este órgão seja menos sensível ao toque.

Várias pesquisas internacionais, que incluíram homens adultos que foram circuncidados depois de iniciarem a sua vida sexual, mostraram que a sensação sexual de muitos ficou drasticamente reduzida durante a relação sexual, em comparação com o sexo antes da circuncisão. Um alerta que muitos especialistas em várias partes do planeta também têm feito com alguma incidência e regularidade.

Os riscos

Contudo, a circuncisão também pode ser perigosa. Nas culturas africanas, os jovens são circuncidados sem qualquer anestesia ou instrumentos cirúrgico esterilizados, o que muitas vezes provoca várias infecções ou mesmo a morte. É difícil determinar se foi removida demasiada pele num rapaz muito jovem, mas o resultado é normalmente evidente quando este cresce. Assim, poderá vir a ter erecções dolorosas, derivadas de ter sido removida demasiada pele.

6-29-11-bearman-cartoon-circumcision-san-francisco
“O que se passa com aquele tipo?” “Deve ser de São Francisco.” (alusão à população hippie e liberal desta cidade norte-americana, que não se deixa influenciar por convenções.

Na cultura ocidental, a circuncisão tornou-se habitual, especialmente em países como os Estados Unidos e Austrália. Ultrapassou a questão religiosa e passou a ser uma questão cultural e de moda. Diminuindo o risco da intervenção médica, aumenta o dos problemas de foro sexual. Como a pele da glande vai ganhando resistência, pela fricção causada pela roupa interior ao longo dos anos, acontece também a perda de sensibilidade. Com isso, vem a diminuição da erecção.

Um estimulante sexual ajuda sempre nestes casos.

Por outro lado, a circuncisão também tem aspectos positivos. Muitos peritos afirmam que a circuncisão reduz o perigo de cancro do pénis. Conforme já foi mencionado, a cabeça de um pénis circuncidado é menos sensível e por isso o toque durante a estimulação tem de ser mais vigoroso. As pesquisas mostram que os homens circuncidados são sexualmente mais selvagens, comparados com os homens que não são circuncidados, o que é evidente na masturbação, sexo oral e sexo anal.

Em muitas culturas, a circuncisão não é obrigatória. É considerada uma decisão que deve ser tomada por cada indivíduo. Porém, os peritos aconselham que, caso não haja razão médica para tal, não deve fazê-la. Em qualquer dos casos, a decisão é do homem. O problema é que, muitas vezes, o acto acontece em tenra infância e o visado acaba por não ter nenhum voto na matéria.

O ponto de vista feminino

As opiniões sobre o sexo com homens circuncidados dividem-se. Se, por um lado, muitas mulheres preferem o sexo com homens não circuncidados, por sentirem que estes têm e dão um maior prazer durante a relação, atuando o prepúcio como uma forma de estimulação da mulher, a verdade é que, por outro, o fator higiene é frequentemente visto como algo positivo, sendo que nos homens circuncidados é possível manter uma higiene mais cuidada do pénis. Este pensamento é muito comum na América do Norte, por exemplo.

Isto apesar de este ser um factor que pode variar de homem para homem e não depende apenas da circuncisão. Regra geral, existe uma certa preferência por homens não-circuncidados. Devido à remoção do prepúcio e à formação de uma fina camada de pele na cabeça do pénis após a circuncisão, o pénis fica com menos sensibilidade, o que pode levar a dificuldades em atingir o orgasmo por parte do homem, causando frustração na mulher e podendo até mesmo levar a dor durante o coito.

Ausência de prepúcio reduz lubrificação feminina

A ausência de prepúcio aumenta também a fricção e reduz a lubrificação na vagina da mulher, tornando-a mais seca e sensível à dor. Também neste caso a penetração é mais profunda e vigorosa, o que também aumenta a fricção, uma vez que o homem precisa de compensar a menor sensibilidade com investidas mais fortes. Contudo, a prestação sexual de um homem não pode ser avaliada apenas pelo facto de este ser circuncidado ou não. Aqui, aconselhamos o uso de lubrificante, para diminuir o possível desconforto.

A capacidade de dar prazer, a comunicação e o entusiasmo com que o sexo é encarado, são factores que também devem ser tidos em conta e que afectam tanto a prestação sexual do homem como da mulher. No entanto, os estudos  realizados nas últimas décadas advertem que a sensação sexual de muitos homens foi afectada ou reduzida durante o ato sexual, em comparação com o sexo que tinham antes da circuncisão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *