Food Porn. Em tradução literal é “comida pornográfica”. Pode até pensar-se em desvio de natureza sexual, na substituição do sexo por comida, mas o termo está mais associado ao poder de sedução da comida. Lembras-te daquela foto com o chocolate a derreter em cima da sobremesa, ou o molho barbecue a escorregar pela costela de porco? É exatamente disso que trata o conceito.

O objetivo é: uma foto que te deixe com água na boca.

Esta técnica é bastante usada na publicidade a restaurantes, para encantar os clientes. Associada a esta ideia foi criada a hashtag #foodporn, que tanto sucesso faz nas redes sociais. Quantos dos seus amigos te pedem para esperares porque querem tirar uma foto antes de comerem o que acabou de ser servido?

Não é fácil, no entanto, acertar no tom da foto. A fronteira entre o “ai que vontade de comer isto” e o “bolas, que coisa mais nojenta” é tênue. E foi com esta ideia em mente, entre a repulsa, a sedução e o choque, que a agência  Leda & St. Jacques + Publicis elaborou a campanha do 18º aniversário do «Guide Restos Voir»,  o Guia Michelin do Canadá.

O mote é: Orgulhosos de lhe fazer crescer água na boca há 18 anos. E os cartazes, com o apontamento de “Maiores de 18” num canto (garfo e faca cruzados num símbolo de “mais”), ficam na fronteira entre o artístico e o vulgar (em algumas, mesmo pornográficas).

Vê abaixo as imagens.

ostradans-ta-pub-guide-restos-voir-canada-porno-food-2dans-ta-pub-guide-restos-voir-canada-porno-food-3

veggiesdans-ta-pub-guide-restos-voir-canada-porno-food-4dans-ta-pub-guide-restos-voir-canada-porno-food-5

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *