A maioria dos homens tem fantasias com sexo anal, e muitos deles já as concretizaram. Estes podem admitir que não foi muito fácil convencerem suas companheiras a ter permitir sexo anal. É, para quase todos, um desafio.

Então, como podes concretizar esta fantasia se a tua companheira não está para aí virada? Uma coisa de cada vez. Como em todos os outros assuntos que vos dizem respeito e há diferenças, comecem por conversar um com o outro. Descobre exactamente aquilo que a faz sentir-se hesitante. Tenta perceber o que podes fazer para que ela ultrapasse esses receios, se assim for a vossa vontade. Depois de uma conversa honesta, estão prontos para o próximo passo: abordar e ultrapassar as seguintes questões:

Dor versus Prazer
Quantas mulheres existem que apenas tentaram sexo anal uma única vez e juraram para nunca mais? Porquê? Porque essa tentativa foi dolorosa. Se a tua companheira teve uma experiência anal pouco satisfatória, vai ser complicado convencê-la a repetir a brincadeira. E se ela nunca experimentou antes, pode ser pelas histórias de horror que ouviu de amigas. A não ser que a tua namorada goste de cenas mais masoquistas, a dor não está na sua lista de prazer.

O anus está repleto de terminações nervosas e – com a estimulação certa – pode ser fonte de muito prazer. Infelizmente, as mesmas terminações responsáveis pelo prazer podem ser transmissoras de sensações de desconforto e dor, se não usares uma técnica adequada. Ao convenceres a tua companheira a ter sexo anal, deves preocupar-te com a sua segurança e prazer, partilhando a responsabilidade de um plano bem desenhado.

Preparando o cenário
Antes de tudo, ela precisa de estar relaxada e preparada, o sexo anal não é para uma rapidinha. O anus ficará contraído se ela estiver nervosa, o que  te dificultará a penetração e será mais doloroso para ela. Se for a sua primeira vez, deves certificar-te de ela está realmente pronta. Escolhe uma hora e local em que ela esteja descontraída e longe de qualquer distracção ou stress. E garante que não serão interrompidos.

Nesta altura já a deves conhecer o suficiente para saber o que a excita. Se for um banho de espuma com esta esponja que tem uma bullet vibratória incluída, uma massagem com um brinquedo, vestir uma fantasia ou fazer uma sessão de BDSM soft, prepara as tuas ferramentas com antecedência. Já sabes o que fazer. Ela deve ficar excitada, e quanto mais melhor. Este é um factor de importância determinante.

A caminho
Não vás directo ao rabiosque. Antes, gasta algum tempo nos preliminares e certifica-te que ela está pronta antes de te concentrares no teu desejado destino. Inicia a estimulação na zona do anus, com a tua língua, dedos ou com um brinquedo sexual. Vai brincando com a sua abertura antes de sequer aproximares o teu pénis. Vai usando os dedos ou brinquedos estreitos e adequados para ela se ir habituando à ideia de ter algo dentro daquele sítio especial.

Abusa do lubrificante, usa mesmo muito. Ao contrário da vagina, o anus não produz a sua própria lubrificação. Vais precisar de muita humidade artificial para garantir uma viagem tranquila e suave.

A entrada
Em primeiro lugar, coloca o preservativo. Deves usar um sempre que praticas sexo anal. Porque a cavidade anal pode ficar com algumas fissuras quase imprescritíveis, aumenta o risco de transmissão de doenças como o HIV e hepatites, para além de infecções. E como vais estar a fazer algum esforço de penetração, também não queres magoar a glande nem causar fissuras que possam infectar.

Outra vez, lubrificante. Queres que a entrada seja feita no ambiente o mais escorregadio possível. Usa lubrificantes que sejam compatíveis com o preservativo.

Entra devagar, vai perguntando à tua companheira como se está a sentir e ela deve avisar-te se estiver a doer muito. Se ela se queixar, recua um pouco antes de votares a avançar. A parte mais difícil é passar a cabeça do pénis (glande) pelo esfincter. Este retrai-se naturalmente para impedir a tua entrada (por isso é que começaste com todos aqueles preliminares de relaxamento e excitação). Não o forces quando o esfincter se contrair, continua lentamente a penetrar em movimentos curtos de vai-vem com a cabeça do pénis. Assim que sentires que a glande passou a entrada, empurra-a para passar o esfincter. Como dizem, o resto é pescoço e vais sentir uma diferença quando a cabeça estiver lá dentro.

O esfincter continuará a apertar o teu membro, mas lá dentro o espaço é mais confortável. Alguns homens consideram esta sensação desconcertante, e não é incomum perder a erecção neste momento. Não é sinónimo de que “não queres” ou “não és capaz”. Se queres garantir que mão acontece uma quebra no ritmo, podes optar por um retardante ou um preservativo com esse efeito.

Agora que passou a parte mais difícil, para ti e para ela, é necessário continuar de forma a que não lhe provoque dor. A não ser que ela assim o deseje, não aumentes a velocidade de forma brusca. Vai com calma e observa como a fazes sentir. Se fores egoista e usares o mesmo ritmo que usas quando fazes sexo vaginal, pode ser muito desagradável e nunca mais terás oportunidade de repetir a gracinha.

Deixem de parte os pudores
Outra das razões que a pode levar a não querer ter sexo anal é o pudor de não se sentir limpa. Para muitos, é esta a principal razão para evitar sexo anal e aí podes tentar optimizar a situação. Já tinha mencionado acima que o sexo anal não é para rapidinhas. Têm de falar sobre o assunto e preparar o acto.

Nesta preparação, podem incluir o compromisso de ter refeições ligeiras no dia em que vão estar mais intimamente ligados. Ela pode fazer um duche anal. Depois podem aproveitar para tomar um banho ou duche sexy em conjunto. Tudo pode ser usado de forma sensual para criar intimidade.

As mulheres sérias não fazem nada disto
Podes ter alguma dificuldade em convencer a tua parceira se ela tiver a percepção de que o sexo anal é um desvio da normalidade ou algo que uma mulher séria não faria. Apesar de este assunto não ser o tabu que era há algumas décadas, ainda prevalece a visão de que o sexo anal não é habitual num casal. Se ela está preocupada com isto, tens de assegurar que não a vês de outra forma caso ela concorde em ter sexo anal contigo. E que a tua atitude perante a vossa relação não se vais alterar depois deste acto.

+ 10 coisas que as mulheres querem na cama (mas não pedem)

Expectativa vs Realidade – isto não é um filme pornográfico
Não tentes levar o enredo de um filme pornográfico para a tua cama, quando se trata de sexo anal. As actrizes profissionais estão preparadas de uma forma que uma mulher normal não está. Podem também usar um spray ou gel com efeito anestesiante para diminuir a dor e o desconforto. Numa relação de casal, é preferível usares um bom lubrificante pois a dor irá permitir teres o teu limite. É importante, se quiseres ter mais oportunidade de repetir o acto, que haja conforto.

Pelas traseiras

O anus é uma zona muito sensível, e pode ser fonte de muito prazer para o casal. E toda a gente tem um, por isso este pequeno manual também é válido se vos interessar uma troca de papéis, um jogo de pegging. Nesta selecção de strap-ons, escolhi alguns que têm o dildo oco e podem ser usados pelo homem ou pela mulher.

Convencer a tua parceira a ter sexo anal pode ter este ar de tarefa. Em resumo, o que é importante lembrar é: sê sensível às necessidades dela, está preparado, estejam limpos e estejam seguros. No final, vai valer a pena entrar pela porta dos fundos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *